terça-feira, 28 de maio de 2013

Elementos que compõem decoração de Parede


Quadros, Espelhos, Pratos, Molduras, Fotos, Coleções...



Para compor paredes, atualmente existem diversas opções. Estes elementos dão acabamento, vida, charme e um toque especial na decoração. São ferramentas importantíssimas e de alto valor, mas  é preciso seguir algumas considerações, para que o resultado final tenha sucesso. Caso contrário, podemos comprometer o visual do ambiente, deixando-o carregado.

Este post, tem a intenção de auxiliá-los na escolha, disposição e organização destes elementos. Não existe uma regra fixa, mas é importante considerar :

- Tipo (modelos, tamanhos, forma, quantidades e sua interação no conjunto);
Espaço (Interação com o contexto e outros elementos da decoração);
- Composição de Cores;
- Esquema de Disposição (Proporção entre as peças e o ambiente).

O importante é considerar todos os itens e não a ordem, pois esta última podem variar caso a caso. Existem pessoas que começam pelo tipo, pois já possuem uma obra de arte ou algum elemento de grande valor sentimental. Por outro lado, existem pessoas com um espaço determinado precisando de elementos que o valorizem.


Tipo (modelos, tamanhos, forma, quantidades e sua interação no conjunto);

A primeira decisão é a escolha do tipos, modelos, formas e tamanhos a serem usados. Podemos decidir por vários modelos existentes para decorar paredes, isso vai depender do gosto de cada pessoa. Atualmente, temos muitas variedade que são oferecidas, entre elas podemos optar por: Quadros, espelhos, pratos, molduras, fotos, coleções, nichos...

A segunda refere-se à decisão de usá-lo sozinho ou em conjunto formando uma composição.




Espaço (Interação com o contexto e outros elementos da decoração);

Determinar o local, onde o tipo ou conjunto escolhido receberá destaque e valor, considerando os mobiliários existentes e outros elementos.

Composição de Cores

Neste caso é preciso fazer a relação entre as cores dos tipos e do espaço, considerando também as imagens. Primeiro devemos determinar o elemento principal, pode ser a imagem, a moldura ou a parede. O elemento principal deve ser o elemento marcante e receber maior destaque, os outros devem apenas servir para valorizá-lo.

A parede como elemento marcante pode ser pintada com cor de destaque, usar texturas, papel de parede... E podemos usar molduras e imagens mais clara e suaves para decorá-la, ou espelhos criando uma perfeita harmonia.


As imagens e/ou fotos como elemento principal, as molduras de preferência em cor única sem chamar muita atenção. Já cor da parede destacando de forma sutil as molduras e valorizando as imagens e/ou fotos. 






















A moldura como elemento marcante pode ter muitas cores, principalmente quando as imagens são mais simples e não chamam tanto a atenção.



Em alguns casos, podemos ousar nas cores e imagens, quando o ambiente é claro e não possuem elementos que possam entrar em atrito carregando e poluindo o ambiente.


Disposição (Proporção entre as peças e o ambiente)

A regra básica para a disposição na parede de elementos únicos ou em composição de é deixá-los mais ou menos na altura do olhar, ou seja, levando-se em conta a altura média dos observadores de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão. Alguns elementos nos ambientes podem variar essa altura como exemplos abaixo:

- Sofá, deve ficar entre 30 e 40cm acima da altura do seu encosto;
- Cama sem cabeceira, deve estar a no mínimo 60 cm do colchão (altura média de travesseiros (40 cm) e almofadas quando estiverem decorando mais uns (20 cm);
- Cama com cabeceira, a 20 cm da mesma.

No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.

Sozinho

Normalmente quando usamos um elemento único ele costuma a ser grande, mas isso não quer dizer que precisa ser usado apenas em grandes espaços. Podemos usar um grande quadro ou espelho para dar valor e requinte a um espaço pequeno, como um hall.


Ele pode ser usado também em grandes espaços com pé-direito alto.  Neste caso, por mais alto que seja o pé-direito, os quadros devem começar a ser colocados a partir de uma peça existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de baixo. Caso queira colocar um quadro maior ou vários quadros, poderá atingir pontos mais altos do pé-direito. A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.




Conjunto

Abaixo alguns esquemas para auxiliar e inspirar:

 

Dispor na parede sem um planejamento para formar uma composição, resultará em prejuízo, decepção e retrabalho, na maioria das vezes. Para uma composição de sucesso é imprescindível planejamento relacionando os tipo, tamanhos e formas . O ideal é colocar primeiro todos os elementos no chão e testar as possibilidades. Deve-se buscar o equilíbrio entre as cores e tamanhos de cada elemento e manter um espaço entre um e outro de 10 a 12cm, aproximadamente. Também é preciso considerar se o espaço precisa ser valorizado vertical ou horizontalmente para harmonia com o entorno.



Prateleiras 


Prateleiras são mais uma alternativa, onde os quadros podem ficar apenas apoiados. Com um toque moderno à decoração, permite liberdade para mudar e compor rapidamente um novo visual ao espaço.  O mesmo pode ser feito com quadros grandes, só que ao invés das prateleiras, apoiados no chão.





Reflexão:

"Sorrir não significa necessariamente que você está feliz. Às vezes isto significa apenas que você é forte."
(Autor desconhecido)

Tatiana Pereira Américo

Imagens e CréditosPinterest, Assim eu gosto, Armazém Fornari, Google Images.

Nenhum comentário:

Postar um comentário